Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná
Matinhos abril 24 Curtiu a Diferença 1070 200 iluminação

Com mais 2 pontos aprovados, Litoral tem 78% de balneabilidade

Escondidos pela mídia, locais como a foz do rio Brejatuba, constam do boletim e da sinalização feita pelo IAT e podem provocar doenças | foto: Gustavo Aquino / Correio do Litoral

O quinto boletim semanal de balneabilidade do Instituto Água e Terra (IAT) apontou que 46 dos 59 pontos sinalizados nas praias do Paraná estão aprovados para o lazer e o esporte: quase 78%.

Dois pontos considerados impróprios ao banho na semana anterior foram aprovados na nova análise, divulgado nesta sexta-feira (19): trecho da Avenida Principal do Balneário Olho D’água, em Pontal do Paraná, e trecho da Praia Brava de Caiobá próximo à Rua Alvorada, em Matinhos.

Seguem impróprios ao banho 13 pontos. Entre eles, um trecho a 250 metros, à direita, do trapiche da Praia de Encantadas, na Ilha do Mel, em Paranaguá; o trecho na altura da Rua Alois Cicatka, na Praia das Pedras, em Guaratuba; e a Ponta da Pita, em Antonina.

Apesar de não serem mostrados pela maior parte da imprensa, outros 10 são impróprios o ano todo e precisam ser evitados, num espaço de 100 metros de cada lado, porque podem causar doenças.

Escondidos pela mídia, eles constam do boletim e da sinalização feita pela equipe técnica do IAT.
Guaratuba (7): rio Brejatuba (Praia das Canoas), galeria da rua Marechal Deodoro, canal da rua Clevelândia, canal do Camping Municipal (Brejatuba), rio das Pedras, rio do Tenente (Nereidas) e rio Saí-guaçu (Barra do Saí).
Matinhos (2): rio Matinhos (Flamingo), e canal Caiobá (Caiobá).
Pontal do Paraná (1): rio Olho D’água (balneário Olho D’água).

Tomar banho em local impróprio pode causar doenças

Segundo o IAT, o monitoramento das águas verifica se há contaminação por esgoto sanitário clandestino e indica a possibilidade de uso dos espaços públicos para atividades de lazer, como natação, mergulho, surf e esqui aquático.

Para isso, utiliza-se o indicador Escherichia coli, uma bactéria existente no intestino dos seres humanos e dos animais de sangue quente. Quanto maior o número dessa bactéria na água, maior será a quantidade de esgoto e, consequentemente, maior a probabilidade da existência de organismos patogênicos (causadores de doenças).

As doenças mais comuns são gastroenterite, diarreia, doenças de pele e infecções nos olhos, ouvidos e garganta. Outras mais graves também podem ser transmitidas por meio da água, como hepatite A, cólera e febre tifoide.

Confira o 5º boletim de balneabilidade da temporada 23/24 no site do IAT: www.iat.pr.gov.br/(…)

Leia também