Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

PM anuncia que desmantelou quadrilha que assaltou banco em Guaratuba

gaeco-maringa27082014
Foto: PMPR

Policiais do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) prenderam nesta quarta-feira (27), em Maringá, mais cinco pessoas que seriam da quadrilha que assaltou o banco Bradesco em Guaratuba.

Desde junho o núcleo de Maringá do Gaeco (coordenado pelo Ministério Público Estadual com participação da Polícia Militar e da Polícia Civil) vinha trabalhando no caso. O primeiro assaltante preso, ainda durante a fuga em Guaratuba, foi Robson Alberto Cezar, 31 anos, vulgo Doido, natural de Sarandi. Ele também é suspeito de ter participado, no dia 17 de fevereiro, do roubo de uma agência do Banco do Brasil em Maringá e ter ligações com bandidos daquela região.

Outro suspeito, Robson Pereira de Souza, de 23 anos, que foi morto no dia 17 de julho, em Maringá, ao roubar uma motocicleta. No dia 23 de julho, Éder Fábio Azevedo, o Edi, suspeito de liderar a quadrilha, foi morto em Navegantes pela Polícia Militar de Santa Catarina.

Pontal 40 milhões

Nesta quarta-feira, por volta das 6h, a equipe do Gaeco deram início a cumprimento de vários mandados de busca e apreensão e prisão. A operação foi batizada de “Animus Necandi”, em referência a vontade demonstrada pela quadrilha de tirar a vida de qualquer pessoa que se colocasse em seu caminho. A expressão em latim significa “intenção de matar”.

Foram capturadas cinco pessoas, dentre elas a mãe e o irmão de Éder Fábio Azevedo. A PM ainda não divulgou os nomes. Todos vão responder por associação criminosa, tráfico de entorpecentes e associação para o tráfico, pois além dos crimes apurados, uma quantidade considerável de entorpecentes também foi apreendida durante a Operação.

“Essa foi a resposta na medida exata aos criminosos e em uma clara demonstração de união de esforços entre as forças de segurança do Paraná e Santa Catarina, e também à comunidade litorânea que não imaginava haver uma continuidade da ação por parte das autoridades”, declarou o major Nivaldo Marcelos da Silva, Comandante da Polícia Militar no Litoral (9º BPM).

Leia também

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More